Frente parlamentar contra o SampaPrev

A guerra não acabou. O atual prefeito, Bruno Covas, já em seus primeiros dias de mandato, declarou que pretende insistir na aprovação do SAMPAPREV. Não tem arrego!

4.599 pessoas já assinaram.
Ajude-nos a chegar em 6.000!
Clique para assinar

Após greve e mobilização históricas, os servidores e servidoras do município de São Paulo derrotaram o então prefeito João Dória e adiaram em pelo menos 120 dias a votação sobre a reforma da previdência municipal. No entanto, a guerra não acabou. O atual prefeito, Bruno Covas, já em seus primeiros dias de mandato, veio a público declarar que pretende insistir na aprovação do SAMPAPREV.

Para enterrar de vez o projeto e garantir o direito dos trabalhadores e trabalhadoras, a vereadora Sâmia Bomfim protocolou a criação da Frente Parlamentar Contra a Reforma da Previdência Municipal, espaço público de discussão sobre o tema, aberto não só à participação de parlamentares da casa, como também de servidoras e servidores públicos, na condição de membros colaboradores.

Não existem serviços públicos de qualidade sem servidores públicos valorizados. A previdência é um direito constitucional e não um privilégio. O SAMPAPREV e qualquer reforma da previdência municipal análoga é inadmissível na lógica constitucional da seguridade social, por isso, esperamos a participação ativa de todos os vereadores e vereadoras que se comprometeram a ficar ao lado da população e barrar o projeto.

Nem um direito a menos! Não tem arrego!